Mazda 3 SkyActiv-D 1.5: o argumento que faltava

18/05/2016
4.471 views
Share Button

Nunca faltaram argumentos ao Mazda 3: confortável, bem desenhado, dinamicamente apurado e com uma qualidade de construção ao nível do que a marca nos tem habituado. Faltava apenas um Diesel adequado ao mercado nacional… agora já não falta.

Embora as atenções da indústria automóvel estejam focadas nos SUV’s, a Mazda está apostada em querer dar continuidade aos bons resultados na Europa (e nomeadamente em Portugal) com um conjunto de modelos compactos.

Por isso, tal como aconteceu no CX-3, a marca nipónica investiu naquele que será talvez o maior trunfo desta mais recente versão do Mazda 3: o novo motor turbodiesel SKYACTIV-D de 1,5 litros. Este novo bloco dá resposta à elevada procura de motorizações diesel em Portugal e certamente permitirá à marca de Hiroshima rivalizar com a forte concorrência no segmento C – nomeadamente Volkswagen Golf, Peugeot 308, Honda Civic, Renault Mégane, entre outros.

Mazda 3 CS Skyactiv-d-3

Genericamente, à excepção da nova motorização 1.5 SKYACTIV-D o renovado Mazda 3 mantém praticamente inalteradas as qualidades que já lhe eram reconhecidas – conforto, design apelativo e eficiência. Depois de um primeiro contacto com a versão com a nova carroçaria Coupé Style (três volumes), tivemos agora a oportunidade de testar a versão hatchback de 5 portas com caixa manual de 6 velocidades.

Design e Interiores

Por fora, o novo Mazda 3 leva a cabo uma interpretação mais fiel da filosofia de design Kodo: cintura baixa, perfil com traseira inclinada e projeções mais curtas, que conferem ao modelo nipónico um aspecto dinâmico e rigoroso.

Ao entrar no habitáculo, verificamos (sem surpresa) a aposta da marca numa configuração organizada, funcional e minimalista do painel de instrumentos e da consola central. A versão equipada com o sistema Active Driving Display (que projecta a velocidade, indicações navegação e outros alertas num painel transparente) oferece todos os ingredientes para uma condução tranquila e segura.

Mazda 3 CS Skyactiv-d-4

A NÃO PERDER: A fábrica onde a Mazda produzia os “king of spin” Wankel 13B

Quanto aos índices de habitabilidade, o Mazda 3 oferece espaço suficiente para a maioria das obrigações familiares, acomodando perfeitamente dois adultos ou mesmo duas cadeiras de bebé. Na bagageira, o modelo nipónico oferece 364 litros de capacidade (1.263 litros com os bancos rebatidos).

Ao volante

Importa destacar o mais recente motor turbodiesel SKYACTIV-D de 1.5 litros. Debita 105 cv (às 4.000 rpm) e um binário máximo de 270 Nm (entre as 1.600 e as 2.500 rpm), permitindo uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 11 segundos exactos. A velocidade máxima é de 185 km/h. A marca anuncia emissões de CO2 de 99 g/km (Euro 6) e consumos médios na ordem dos 3,8 l/100 km.

Traduzindo estes números em sensações reais de condução, podemos dizer que é uma motorização suficiente para as aspirações de um modelo desta natureza. Não é dos mais performantes (nem o mais frugal) do segmento mas é um dos mais suaves.

Mazda 3 CS Skyactiv-d-1

VEJAM TAMBÉM: Mazda MX-5 RF: democratização do conceito «targa»

Embora seja difícil alcançar os 3.8 l/100 km anunciados, com uma condução relativamente moderada é possível registar consumos bastante satisfatórios, à volta dos 4.5 l/100 km. O sistema “i-stop” (disponível de série) é descrito pela marca como um dos mais rápidos do mundo: o tempo de reinício do motor é de apenas 0,4 segundos.

Ao nível dinâmico, mais do que o comportamento rigoroso e previsível, é o peso e a sensibilidade de todos os comandos que marca pontos – quem gosta de “sentir” o carro, vai gostar de conduzir o Mazda 3. A direcção é suave e precisa e a caixa de seis velocidades tem um bom tacto. Em curvas de maior apoio, o baixo peso do conjunto (apenas 1.185kg) ajuda a manter os movimentos da carroçaria sob controlo.


Segurança

Ao nível da segurança, a marca adoptou uma filosofia de “segurança proativa” com o objectivo minimizar os riscos de acidente. O Mazda 3 está equipado com a mais recente tecnologia i-ACTIVSENSE, que integra os sistemas Lane Departure Warning System, Adaptive Front-lighting System e Rear Vehicle Monitoring, entre outros.

Os seis airbags (à frente, nas laterais e airbags de cortina), o sistema ISOFIX nos assentos traseiros e os cintos de segurança de três pontos com pré-tensores completam o pacote de segurança de série. Tudo isto fez com que o modelo nipónico alcançasse a classificação máxima de 5 estrelas EuroNCAP.

Gama e Preço

São 3 os níveis de equipamento disponíveis para o mercado nacional: Essence, Evolve e Excellence. Neste último (versão topo de gama que equipa o modelo em teste), o Mazda 3 completa-se com os conteúdos do Pack High Safety – sensores de estacionamento, faróis bi-Xénon, luzes diurnas LED e vidros traseiros escurecidos – jantes 18 polegadas, bancos dianteiros aquecidos, câmara traseira e sistema de áudio Bose.

Com a nova carroçaria Coupé Style (três volumes), o Mazda3 SKYACTIV-D 1.5 têm um intervalo de preços dos 24.364 aos 26.464 € para o nível de equipamento Evolve, enquanto que na versão mais recheada Excellence os preços iniciam-se nos 26.954 € para terminar nos 31.354 €. Já no modelo hatchback, o Mazda3 é proposto por um intervalo de preços dos 24.364 aos 29.174 € com o nível de equipamento Evolve e dos 26.954 € aos 34.064 € no nível Excellence. Consulta a tabela de preços completa aqui.

Ficha Técnica

MOTOR 4 Cilindros
CILINDRADA  1499 cc
TRANSMISSÃO Manual 6 Vel.
TRAÇÃO Dianteira
PESO  1,295 kg
POTÊNCIA  105 cv
BINÁRIO  270 Nm
0-100 KM/H  11 seg
VEL. MÁXIMA  185 km/h
CONSUMO  3.8 l/100km
PREÇO  27.754 € (versão ensaiada)
Nunca faltaram argumentos ao Mazda 3: confortável, bem desenhado, dinamicamente apurado e com uma qualidade de construção ao nível do que a marca nos tem habituado. Faltava apenas um Diesel adequado ao mercado nacional... agora já não falta. Embora as atenções da indústria automóvel estejam focadas nos SUV's, a Mazda está apostada em querer dar continuidade aos bons resultados na Europa (e nomeadamente em Portugal) com um conjunto de modelos compactos. Por isso, tal como aconteceu no CX-3, a marca nipónica investiu naquele que será talvez o maior trunfo desta mais recente versão do Mazda 3: o novo motor turbodiesel SKYACTIV-D de 1,5 litros. Este novo bloco dá resposta à elevada procura de motorizações diesel em Portugal e certamente permitirá à marca de Hiroshima rivalizar com a forte concorrência no segmento C - nomeadamente Volkswagen Golf, Peugeot 308, Honda Civic, Renault Mégane, entre outros. Genericamente, à excepção da nova motorização 1.5 SKYACTIV-D o renovado Mazda 3 mantém praticamente inalteradas as qualidades que já lhe eram reconhecidas - conforto, design apelativo e eficiência. Depois de um primeiro contacto com a versão com a nova carroçaria Coupé Style (três volumes), tivemos agora a oportunidade de testar a versão hatchback de 5 portas com caixa manual de 6 velocidades. [highlight background="#333" color="#fff"]Design e Interiores[/highlight] Por fora, o novo Mazda 3 leva a cabo uma interpretação mais fiel da filosofia de design Kodo: cintura baixa, perfil com traseira inclinada e projeções mais curtas, que conferem ao modelo nipónico um aspecto dinâmico e rigoroso. Ao entrar no habitáculo, verificamos (sem surpresa) a aposta da marca numa configuração organizada, funcional e minimalista do painel de instrumentos e da consola central. A versão equipada com o sistema Active Driving Display (que projecta a velocidade, indicações navegação e outros alertas num painel transparente) oferece todos os ingredientes para uma condução tranquila e segura. A NÃO PERDER: A fábrica onde a Mazda produzia os “king of spin” Wankel 13B Quanto aos índices de habitabilidade, o Mazda 3 oferece espaço suficiente para a maioria das obrigações familiares, acomodando perfeitamente dois adultos ou mesmo duas cadeiras de bebé. Na bagageira, o modelo nipónico oferece 364 litros de capacidade (1.263 litros com os bancos rebatidos). [highlight background="#333" color="#fff"]Ao volante[/highlight] Importa destacar o mais recente motor turbodiesel SKYACTIV-D de 1.5 litros. Debita 105 cv (às 4.000 rpm) e um binário máximo de 270 Nm (entre as 1.600 e as 2.500 rpm), permitindo uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 11 segundos exactos. A velocidade máxima é de 185 km/h. A marca anuncia emissões de CO2 de 99 g/km (Euro 6) e consumos médios na ordem dos 3,8 l/100 km. Traduzindo estes números em sensações reais de condução, podemos dizer que é uma motorização suficiente para as aspirações de um modelo desta natureza. Não é dos mais performantes (nem o mais frugal) do segmento mas é um dos mais suaves. VEJAM TAMBÉM: Mazda MX-5 RF: democratização do conceito «targa» Embora seja difícil alcançar os 3.8 l/100 km anunciados, com uma condução relativamente moderada…

7.9

Bom

Nota Final

Com um preço competitivo e uma nova motorização diesel, o Mazda 3 tem agora tudo o que é necessário para triunfar no mercado nacional.

Motor/Prestações

7.3

Dinâmica

7.6

Equipamento

8.1

Design

8

Preço/Qualidade

8.2

Conforto/Interiores

8

8

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Tags
,