Os 15 carros mais feios de sempre

A noite de Halloween já lá vai. Mas há carros que vão continuar a assombrar-nos durante o ano todo… reunimos os 15 carros mais feios de sempre. | UPDATE: O Hélder Bastos lembrou-nos do Renault Vel Satis| UPDATE 2: Esqueçam, a lista já vai a caminho dos 20. partilha a tua sugestão no nosso Facebook.

Ok, “não são os 15 carros mais feios de sempre” talvez sejam os “os 15 carros mais feios dos últimos 25 anos” – não quisemos recuar demasiado no tempo, porque o conceito de beleza vai mudando com o tempo e não queríamos ser injustos.

Porque como diz o povo “os olhos também comem”, a indústria automóvel investe quantias exorbitantes nos departamentos de design. Contudo, ao longo dos anos, surgem modelos menos bonitos (e estamos a ser simpáticos…), ora devido às limitações orçamentais, ora porque simplesmente quem os concebeu estava em dia não.

Se é verdade que os gostos são subjectivos, também é verdade que existem casos consensuais. Nesta lista faltarão certamente alguns modelos, outros fazem parte da lista de forma algo forçada – como aqueles bons alunos que habituam os professores às boas notas e um dia “sacam” um suficiente baixo (é o caso da BMW e da Porsche).

Estas são as nossas escolhas (sem ordem específica):

Fiat Multipla

Fiat Multipla – Quem o conduziu diz que é um dos melhores Fiat de sempre: confortável, espaçoso, com ampla visibilidade para o exterior e motorizações ajustadas. Quem nunca se atreveu a entrar lá dentro acha-o simplesmente horrível. Design italiano? Pois, pois…

BMW Série 5 Gran Turismo – Adoramos toda a gama BMW Série 5 excepto este modelo… as proporções estão todas erradas. De uma noite de amor entre um coupé, um monovolume e uma berlina de luxo saiu “isto”. Foi buscar a cada conceito o pior que tinha para oferecer. Correu bem com o X6, mas com este… E sim, no que à BMW diz respeito somos muito exigentes.

Subaru Tribeca – Motor a gasolina de arquitectura boxer, tração integral, interior espaçoso, bom equipamento. Tinha tudo para correr bem mas aquela frente estragou tudo. Um embate a 30km/h contra um muro fazia melhor do que o departamento de design da Subaru.

Toyota Mirai – Já falámos aqui na Razão Automóvel do Toyota Mirai pelos melhores motivos, agora voltamos a falar dele pelo pior motivo: a traseira. O restante design do Mirai (dianteira e perfil) até está agradável, mas a traseira não lembra a ninguém. Talvez tenha sido desenhada a uma segunda-feira de manhã e aprovada a uma sexta-feira à tarde.

Renault Koleos – Ao invés de Koleos, podia chamar-se Renault Cólica. Alguém na Renault sabia que ia ser despedido e desenhou uma cólica com quatro rodas.

Daihatsu Move – Eventualmente, dos mesmos designers que inventaram o caixote de papelão surge o Daihatsu Move. Com a diferença que o caixote de papelão é mais bonito… num dia de muito azar é possível cruzarem-se com um na estrada.

Peugeot 1007– O Peugeot 1007 era uma excelente ideia. Mentira, não era nada. Basta olhar para ele. A Peugeot nunca mais voltou a apostar neste conceito e o mundo é um lugar melhor.

Toyota Yaris Verso – Mais um exemplar da Toyota. Produzir modelos à escala global dá nisto: não é possível agradar “a gregos e a troianos”. Se no Japão estas carroçarias até tem algum sucesso, aqui na Europa não é bem assim. Teimamos em gostar de carros agradáveis à vista. Enfim… manias.

Jaguar X-type Além do design de gosto duvidoso (que nem uma sessão fotográfica oficial consegue esconder), o Jaguar X-type pouco ou nada tinha de Jaguar. Por baixo da roupagem britânica de gosto duvidoso vivia um Ford Mondeo envergonhado, que pouco ou nada podia fazer frente à concorrência premium alemã. Foi um fiasco e por pouco não ditou a extinção da marca. O X-type e o S-type da mesma época foram dos piores modelos já alguma vez produzidos pela marca. Hoje os tempos são outros.

Subaru Impreza Casa Blanca – A mesma marca que produziu um dos mais belos carros de ralis de sempre conseguiu pegar nele e fazer-lhe… isto! Inspirado nos modelos americanos, o Impreza Casa Blanca pretendia oferecer aos japoneses uma proposta mais requintada. Só pode ser piada…

SsangYong Rodius Uma imagem vale mais que mil palavras…

Ford Scorpio

Ford Scorpio – Alguém na Ford olhou para um sapo e pensou “isto dava um belo carro”. Estava redondamente enganado.

SsangYong Korando – Conhecem a expressão lindo de morrer? Este é feio de morrer. Mais uma vez foi um produto traído pelo fraco design. Recorria a motorizações Mercedes-Benz e em off-road tinha um comportamento muito capaz. O mercado não lhe perdoou aquele sorriso rasgado.


Porsche Panamera – Não há desculpas. A Porsche tinha a obrigação de fazer melhor. O Panamera esteticamente fica muito aquém do seu valor enquanto produto. Esta nomeação é uma wake-up call para a rapaziada de Estugarda. Apliquem-se da próxima vez!

Skoda-Felicia-Fun
Skoda Pick-up Fun – Era amarela, horrível e vendeu muito bem em Portugal. Houve uma espécie de contágio no nosso país por esta pick-up. Olhando para trás, só dá vontade de rir…

renault vel satis
Renault Vel Satis (UPDATE) – O nosso leitor Hélder Bastos fez a lista crescer. Lembrou-nos através do Facebook deste modelo que nós tínhamos feito questão de esquecer (enfim, desculpas…). Obrigado Hélder!

seat toledo
Seat Toledo (UPDATE) – Mais um leitor nosso a dar uma ajuda e a fazer a lista crescer para os 17 exemplares (preferiu o anonimato). Diz que lá por casa passou um Seat Toledo destes. Um carro fantástico com uma traseira… segundo ele, foi esse o motivo da venda. Pensaram que iam habituar-se mas nada feito…

ford-ka-1.3-4
Ford KA (UPDATE) – Partilhava a base do Ford Fiesta e foi a interpretação mais infeliz do design “New Edge” que a Ford criou nos anos 90. Mais uma sugestão que nos chegou via mensagem no Facebook.

opel_agila_l3

Opel Agila (UPDATE) – Mais um representante do “segmento dos caixotes”, uma dica do Virgílio Ramos via Facebook. O Opel Agila foi o resultado de uma joint-venture com a Suzuki, da qual resultaram dois modelos. Um foi este o outro nem vamos mostrar. À parte de não ficar a dever muito à beleza tinha nas motorizações um excelente aliado para a cidade, com a versão 1.3 CDTI à cabeça.

lancia thesis 1

Lancia Thesis (UPDATE) – Mais um modelo que vai gerar polémica (até aqui na Razão Automóvel). Na nossa equipa uns acham o design soberbo, ao misturar o moderno com o clássico. Outros acham que lhe falta qualquer coisa – um bidão de gasolina espalhado na carroçaria por exemplo… (obrigado ao Hélio Ramos).

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter