Rali BancoBIC Guarda 2015: a festa dos motores na cidade mais alta de Portugal

10/06/2015
645 views
Share Button

São 60 as equipas que vão participar no Rali BancoBIC Guarda 2015, um evento que está de regresso à cidade mais alta de Portugal de 3 a 5 de Julho.

Depois de quase uma década de ausência, este evento mítico organizado pelo Clube Escape Livre está de volta para um regresso em grande, com a organização a ter de aumentar de 50 para 60 o número de vagas, devido ao elevado número de pedidos de participação. O Rali BancoBIC Guarda 2015 sai para a estrada no próximo mês.

Os detalhes desta prova foram apresentados no Hotel Palácio Estoril, no Estoril, na presença de Mira Amaral, presidente do Banco BIC Português, Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro de Portugal e Carlos Condesso, chefe de Gabinete do Município da Guarda.

Rali BancoBIC Guarda 2015_apresentção

Os pilotos poderão contar com um percurso de estrada onde vão comprovar a beleza da região, bem como uma prova de maneabilidade que testará a destreza dos participantes. Está garantido o convívio e lazer que tem marcado esta prova com 27 anos de história.

A organização destaca a inscrição de uma nova geração, aqueles que participaram no passado a acompanhar os pais e agora surgem ao volante.

Ao patrocinador principal, o Banco BIC, juntam-se entidades de peso como a BP, Ford, Citröen e Renault. Associadas a este evento estão também a Bridgestone, First Stop, Valorpneu e TW Steel. A criação e produção do troféu a entregar ao vencedor do rali, bem como de todos os troféus de participação, ficará a cargo da SPAL.

Com o centro nevrálgico no Hotel Lusitânia, o Rali BancoBIC Guarda 2015 será o centro das atenções de 3 a 5 de Julho, um bom motivo para visitar aquela região.

Não deixe de nos seguir no Instagram e no Twitter

Cofundador da Razão Automóvel | Aos 20 anos, o pai passou-lhe um Alfa Romeo para as mãos com 300 mil quilómetros e disse-lhe: "Faz-te à vida." Desde então tem feito amizade com mecânicos e condutores de reboque por este país fora. Na nossa primeira reportagem, ficamos apeados na A1.