McLaren P1 GTR: a derradeira arma para os circuitos

Finalmente o McLaren P1 GTR é revelado em todo o seu esplendor. A máquina definitiva para os circuitos?

O McLaren P1 GTR não é estranho à Razão Automóvel. Já nos debruçámos sobre esta exclusiva máquina anteriormente, mas finalmente, a McLaren revelou a forma definitiva deste animal dos circuitos.

VEJAM TAMBÉM: As primeiras imagens do Mclaren P1 GTR

Recordando rapidamente, o McLaren P1 GTR está para o P1 de estrada como o LaFerrari FXX K (o melhor nome de sempre para um automóvel?) está para o “civil” LaFerrari. Ou seja, trata-se de uma criatura que terá apenas como destino os circuitos, não podendo circular em estrada e nem sequer possível de o homologar para qualquer competição.

Mclaren-P1-GTR-10

Por uns exorbitantes 2 milhões e meio de euros, o futuro dono do Mclaran P1 GTR terá acesso não só à máquina como ao McLaren P1 GTR Driver Programme, que o levará a visitar circuitos como Silverstone ou Catalunha. Inclui também uma passagem pelo McLaren Technology Centre, onde será fornecido um assento de competição feito à medida, acesso a um simulador para um primeiro contacto virtual com o Mclaren P1 GTR e até encontro com o director de design, Frank Stephenson, para discutir e decidir sobre a decoração exterior da futura máquina.

A NÃO PERDER: Este é o Ferrari FXX K e tem 1050 cv

As especificações finais revelam uns redondos e imperativos 1000cv de potência máxima, 84cv a mais que o P1 de estrada, com o V8 twin-turbo de 3.8 litros a fornecer 800cv e o motor elétrico adicionais 200cv. Como seria de esperar, e livre de quaisquer regulamentos ou homologação, a McLaren reviu o P1 a todos os níveis para o tornar na arma definitiva dos circuitos.

Mclaren-P1-GTR-12

O peso viu-se reduzido em 50Kg e a distância ao solo foi reduzida em 50mm. A via dianteira foi generosamente alargada em 80mm, e podemos observar novas jantes de competição de 19″ de aperto único central a segurarem pneus slick da Pirelli.

O Mclaren P1 GTR difere igualmente no sistema de escape, onde dois grandes tubos posicionados centralmente na traseira sobressaem. Contribuem para a redução de peso em cerca de 6.5kg, graças ao material por que são compostos: uma exótica liga em titânio e Inconel.

E se as saídas de escape se destacam, o que dizer dos suportes em fibra de carbono da nova asa de traseira fixa? É o elemento que mais se destaca na revista aerodinâmica do P1 GTR. Posicionada cerca de 400mm acima da carroçaria, 100mm mais acima do que a asa ajustável do P1 de estrada e trabalhando em conjunto com os flaps colocados à frente das rodas dianteiras, garantem um aumento de 10% nos valores de downforce, culminando nuns impressionantes 660Kg a 150mph (242km/h).

Mclaren-P1-GTR-7

Para um modelo tão focado e especial, a McLaren não resistiu em evocar o antecessor espiritual do Mclaren P1 GTR. E coincidindo com o vigésimo aniversário da vitória do McLaren F1 GTR nas 24h de Le Mans, foi aplicado no Mclaren P1 GTR um esquema de pintura semelhante ao do nº 51, o vencedor da mítica prova.

Tratava-se do Mclaren F1 GTR patrocinado pela Harrods, chassis #06R, ao serviço da Mach One Racing e foi um dos exemplares do F1 que mais tempo esteve em competição. Abençoados os deuses pela McLaren ter aproveitado a ocasião para nova sessão fotográfica deste histórico F1 GTR e que podem deliciar-se na galeria no final deste artigo.

Apesar de inspirado no F1 GTR, infelizmente não veremos o P1 GTR repetir feitos de semelhante envergadura em competição. A redenção poderia acontecer num hipotético e épico campeonato entre o McLaren P1 GTR e o Ferrari FXX K. Alguém se atreverá a colocar estes dois frente a frente?

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Pub