O poder terapêutico da condução

10/01/2015
4.355 views
Share Button

Aquela estrada, aquele carro, naquele preciso momento. Às vezes não precisamos de mais do que isto para afirmar “estamos vivos”.

Há uns anos atrás, alguém bem mais velho disse-me: “conduzir é a melhor coisa que um homem pode fazer vestido”. Esse senhor, tinha na sua coleção pessoal um Porsche 911 Carrera RS e dois Ford Escort de rali, portanto devia saber do que estava a falar.

PARA RECORDAR: A modernidade não tem charme, pois não?

O episódio passou-se numa exposição de clássicos e desde então, sempre que conduzo algum carro mais memorável, recordo-me desta frase. Agora, ao olhar para as fotografias captadas pelo fotógrafo Andy Lee penso naquela frase novamente. Se é verdadeira? Não sei. Sei no entanto que nunca devemos subestimar o poder de uma viagem na companhia de paisagens inesquecíveis.

Há qualquer coisa de terapêutico e apaziguador em paisagens remotas. Não acreditam? Então vejam:

andy lee 1

andy lee 2

andy lee 3

andy lee 4 andy lee 11

andy lee 10

andy lee 9

andy lee 7

andy lee 5

andy lee 12

Imagens: Andy Lee

Tags

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.