Citroën C4 Cactus: o francês irreverente

05/11/2014
3.204 views
Share Button

Irreverente, jovem e fora do comum, são os adjetivos que podem definir o Citroën C4 Cactus. Um modelo que não deixa ninguém indiferente.

É o mais revolucionário e irreverente modelo da Citroën dos últimos anos, e não têm sido assim tão poucos – principalmente na linha DS. Com um valor de venda abaixo dos 17 mil euros na versão de acesso – quando equipado com o motor 1.2 a gasolina de 82cv – o pequeno SUV francês promete agitar as estradas nacionais com o seu design irreverente.

VEJAM TAMBÉM: Galeria de imagens na última página do artigo

Citroen C4 Cactus design

Um design que não foi pensado para agradar a «gregos e troianos». A marca francesa ao projetar o C4 Cactus já sabia que tanta irreverência poderia afastar alguns potenciais clientes. Se é verdade que afastou alguns, também é verdade que terá aproximado outros tantos. Dizem os entendidos em marketing que é uma questão de segmentar a oferta…

“Um modelo que assume com orgulho o seu estatuto de diferença num parque automóvel onde os carros são quase todos iguais”

Continuando a falar do design do C4 Cactus, uma das características mais arrojadas do seu aspecto são as Airbumps, umas bolsas de ar colocadas ao longo dos painéis da carroçaria que visam amortecer os pequenos impactos do dia-a-dia e que, ao mesmo tempo, contribuem para o seu aspecto «fora-da-bolha».

“O C4 Cactus deixa-se levar com bastante desembaraço, seja em estrada ou em cidade, transmitindo sempre sensação de controlo e segurança ao condutor.”

Citroen C4 Cactus air bump

Já no interior, o destaque vai inteiramente para o «interface» de condução cem por cento digital com ecrã tátil de 7 polegadas onde podemos controlar quase todas as funções do veículo e emparelhar os nossos smartphones.

Citroen C4 Cactus interior 1

Ao volante, o C4 Cactus deixa-se levar com bastante desembaraço, seja em estrada ou em cidade, transmitindo sempre sensação de controlo e segurança ao condutor. O motor 1.2 a gasolina para além de poupado (são possíveis médias abaixo 5.7l/100km) tem desembaraço suficiente para mexer este SUV de aspecto irrequieto. Arrisco-me a considerar esta motorização como a ideal para 70% dos utilizadores.

Citroen C4 Cactus design 1

Em suma, um modelo que assume com orgulho o seu estatuto de diferença num parque automóvel onde os carros são quase todos iguais. Apesar de diferente o Citroen C4 Cactus é responsável, conseguindo cumprir com zelo tanto as obrigações familiares (o interior é espaçoso), como consegue assumir uma postura mais aventureira, servindo de parceiro para um fim-de-semana de surf ou de atividades ao ar-livre em geral.

Por ser diferente, ou se ama ou se odeia. Ouvi opiniões para todos os gostos. Quanto a mim devo dizer: gostei! Até da cor. Ou serei eu que começo a ter saudades da cores da Primavera?

 

Fotografia: Gonçalo Maccario

MOTOR 3 Cilindros
CILINDRADA 1199 cc
TRANSMISSÃO Manual 5 Vel.
TRAÇÃO Dianteira
PESO 1040 kg.
POTÊNCIA 82 CV / 5750 rpm
BINÁRIO 116 NM / 2750 rpm
0-100 KM/H 12,4 seg
VEL. MÁXIMA 170 km/h
CONSUMO (Circ. Misto) 4,7 lt./ 100 km (anunciado)
PREÇO 16.957€ (preço base)

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.

  • António Pedro Gonçalves

    Olá. Há algumas pequenas imprecisões nos dados técnicos em relação ao que vi noutros sites. Mas o mais importante é o peso: na realidade tem 1040kg e não 1480! Aliás a redução do peso é um dos grandes investimentos deste modelo.

    • RazaoAutomovel

      António,

      Obrigado pelo seu comentário.
      O quadro de especificações é feito por código HTML. Entre o «corta e cola» ficou alguma info. errada.

      Vamos alterar. Obrigado e boas curvas 😉

  • André Couto

    Sinceramente quando vi as primeiras fotos do carro achei horrível e pensei que não iria ter sucesso nenhum. Curiosamente depois de o ver ao vivo em Espinho a minha opinião mudou radicalmente e, dependendo da configuração a nível de cores, até o achei bastante apelativo.
    Pena que pelas análises que li do modelo criticarem bastante os plásticos interiores chegando mesmo a dizer que não eram superiores a modelos low-cost como os Dacia. Qual a vossa opinião acerca disso?