A revisão de um Lexus LFA

Share Button

VEJAM TAMBÉM: Bugatti Veyron Grand Sport Vitesse 1 de 1: Exclusividade na hora da despedida

Aliás, Peter Dresen, director da TMG, refere que a dificuldade de acesso a determinadas partes do Lexus LFA é o que torna a sua revisão num processo mais delicado: “Os princípios de manutenção são semelhantes aos de Lexus normal, no entanto é mais complicado executar determinadas tarefas e aceder a determinadas partes”. Peter refere ainda que até na revisão, o LFA tem pedigree: “Na realidade, a revisão do LFA é muito semelhante, em termos de tratamento, a um carro de competição”.

revisão LFA (6)

Como não poderia deixar de ser, os travões são um dos sistemas que merecem  mais atenção por parte dos especialistas do LFA. Os discos são examinados minuciosamente em busca de falhas na integridade do compósito de carbono e são de seguida pesados, para verificar se o desgaste cumpre os limites.

É também nos travões que a Lexus pode utilizar a sua máquina de raios X, se algum dia for necessária, coisa que até agora nunca aconteceu porque os materiais nunca (!) apresentaram falhas que assim o exigissem. Ainda no campo da travagem, a TMG faz questão de mergulhar um aparelho no circuito dos travões em busca de água no sistema.

Tags

Apaixonado por automóveis desde que tem memória, Ricardo Correia é fascinado por dois extremos: o hardcore automóvel das direcções não-assistidas e a engenharia de ponta das trocas de caixa instantâneas.