Spyker C8 Aileron: o purista

Desde a chave que desperta o motor de 400cv, até às saídas de ar no habitáculo, o Spyker C8 Aileron é um automóvel produzido apenas com uma coisa em mente: a atenção ao detalhe. Os puristas agradecem.

O Spyker C8 Aileron é obra de origem holandesa (sede da marca) e estreou-se em 2009 no salão de Paris. Fruto da evolução do modelo anterior, o Spyker C8 Laviolette, o C8 Aileron surge como o seu digno sucessor. O pedigree aeronáutico é evidente em quase todos os aspectos do C8 Aileron. Os materiais utilizados, por exemplo, recordam a indústria da aviação em meados do século passado, devido ao recurso extenso ao alumínio.

Um chassi space frame de apenas 230 kg também construído em alumínio, dá a rigidez necessária para acompanhar o desempenho da suspensão, especialmente desenvolvida pela Lotus. No exterior, os painéis da carroçaria são moldados recorrendo a temperaturas na casa dos 500ºC.

Ainda no exterior, o tejadilho de vidro é dividido por uma entrada de ar que, à semelhança das restantes, tem a forma de motores a jacto. O difusor traseiro em aço inoxidável ajuda à estabilidade e a gerar força descendente a velocidades mais elevadas, contribuindo ainda mais para o aspecto esguio de todo o conjunto.

VEJAM TAMBÉM: Sick McVick: o mestre da imitação de motores

A herança aeronáutica da marca ganha ainda mais força no interior do Spyker C8 Aileron. Esqueçam interiores digitais inspirados em caças ultra-modernos, o C8 Aileron foi beber inspiração a outros tempos, tempos mais antigos em que as mini-cenouras eram o maior avanço da genética, e as temperaturas dos fluídos dos carros eram mostradas através de ponteiros, de metal claro está. No interior do C8 Aileron o que não é cabedal, é alumínio.

A consola central é palco de exposição para uma peça característica da marca, falamos da alavanca de velocidades exposta que,  ao contrário do modelo anterior da marca, não é um selector de velocidades mas sim, do modo da caixa automática ZF de 6 velocidades. A opção por uma caixa automática foi justificada por Peter Van Rooy, gerente de vendas, como uma necessidade para tornar o automóvel mais interessante para o mercado americano e do médio-oriente. As trocas de caixa ficam a cargo de paddle shifts, grandes, fixos e em alumínio.

A NÃO PERDER: A modernidade não tem charme, pois não?

Repare-se que até aqui não mencionámos o volante, e com razão! Para os verdadeiros puristas – que já ficaram descontentes com a caixa automática – o volante é a segunda maior heresia do Spyker C8 Aileron, uma vez que é o mesmo do Audi R8 … e do Lamborghini Gallardo. Provavelmente, foram as normas de segurança que ditaram a inclusão de um volante com air-bag, mas recordemos o mítico volante de quatro braços do C8 Laviolette, desprovido de air-bag, mas simplesmente épico.

Spyker C8 Aileron (1)

Na casa das máquinas conta-se com um fiel motor Audi V8 de 4.2l de capacidade. Os 400cv são modestos e denunciam que a intenção aqui não é bater recordes. A aceleração até aos 100km/h consome 4,5 segundos e a velocidade máxima é de 300 km/h, números que muito têm a agradecer ao peso relativamente baixo de 1400kg. Ainda assim, se o apetite por acelerações mais drásticas falar mais alto, a marca disponibiliza a hipótese de indução forçada através de um compressor volumétrico que faz com que a potência se eleve até aos 500cv.

Spyker C8 Aileron (9)

Entre incertezas sobre a continuidade de produção e cortes de fornecimentos por parte dos fornecedores, já passaram quase 5 anos desde que o Spyker C8 Aileron foi apresentado ao mundo, e desde aí que foi um automóvel que nunca se deu a conhecer ao mundo da mesma forma que outros da mesma classe o fizeram, e isso revela-se nas vendas: cerca de 80 carros desde 2009, sendo que em 2013 foram vendidas apenas duas unidades. Tendo em conta a concorrência e o preço de 240 000€, o C8 Aileron torna-se num carro atraente apenas para um pequeno nicho do mercado.

Um nicho que sabe muito bem o que quer. Um automóvel onde a performance não é o mais importante, mas sim os detalhes e as sensações que transmite. Fiquem com a galeria:

 

Pub