Toyota apresenta ideia inovadora para automóveis híbridos

23/05/2014
3.686 views
Share Button

O motor Toyota de pistão livre como gerador linear, tem uma forma em W, onde o pistão está posicionado no centro da configuração W. Este motor de pistão livre opera quase como se de um motor a 2 tempos se tratasse. Os gases de escape são expulsos através de válvulas no topo da cabeça do motor, enquanto, que o ar para o novo ciclo entra por coletores de admissão laterais, pronto para ser comprimido e juntar-se à injeção direta de gasolina, para a ignição da mistura.

Após a expansão gerada pela ignição da mistura, a câmara de gás no inferior atua como mola devolvendo de novo o pistão para o seu PMS (ponto morto superior).

Mas como é que o motor Toyota de pistão livre como gerador linear, consegue produzir corrente elétrica?

Na parte exterior do motor com configuração em W, existe um íman, composto de neodímio, ferro e boro e à volta da câmara de combustão temos uma bobine, composta por fio de cobre. Através do movimento constante entre os ímanes e a bobina, gera-se a corrente elétrica, que é enviada para a bateria.

Tem no ADN a paixão por automóveis, ainda no ventre materno já gostava de andar de carro. Atingiu na formação como mecânico de automóveis o nirvana do viver e respirar técnica automóvel. Define-se como um Gearhead/Petrolhead e tem a condução como o seu Elixir de Vida.

  • SSJ4

    Excelente matéria e muito bom post!