Edição especial: Rolls Royce Phantom Drophead Coupé Waterspeed

A Rolls Royce decidiu homenagear Donald Campbell que para quem desconhece, foi o piloto que conseguiu quebrar 8 records absolutos de velocidade, divididos entre barcos e carros. O modelo escolhido para esta honra foi o Rolls Royce Phantom Drophead Coupé e, mais uma vez, a Rolls Royce mostra toda a sua mestria na personalização de automóveis.

Presumivelmente Donald Campbell tinha um grande fascínio por veículos azuis, tão grande que todos as suas máquinas destinadas a quebrar records mundiais de velocidade eram baptizadas de “Blue Bird”, os barcos não eram exceção. Desta forma  o Rolls Royce Phantom Drophead Coupé Waterspeed não poderia ter outra cor predominante que não o azul: no exterior com nove camadas de tinta “Maggiore Blue”, no interior com diversos detalhes desta cor e, pela primeira vez na história da marca, também o compartimento do motor teve direito a uma personalização com esta cor.

A NÃO PERDER: Riva Aquarama que perteceu a Ferruccio Lamborghini restaurado

RR waterspeed (1)

Como não poderia deixar de ser, o metal sempre foi um material predominante nos veículos de Campbell e assim, o “deck” desta edição especial do Phantom Drophead Coupé é feito de metal escovado em vez da tradicional madeira. A utilização do metal escovado estende-se por todo o comprimento do automóvel: “deck”, moldura do pára-brisas e capot.

AINDA SE LEMBRAM? Mercedes-Benz Arrow460 Granturismo: o Classe S dos mares

Note-se que a produção do efeito de metal escovado é feito manualmente e consome 10 horas…por peça. Nem as jantes foram esquecidas e o “Maggiore Blue” é também aplicado entre cada um dos seus 11 raios. A “cereja no topo do bolo” é uma linha horizontal, desenhada manualmente, com motivos que recordam os velozes barcos de Campbell a rasgarem as águas.

RR waterspeed (5)

O interior é discutvelmente um dos mais bonitos alguma vez apresentado pela industria automóvel. Estreia-se a utilização de peças de madeira preta Abachi cuja montagem é feita de forma a relembrar o rasto deixado pelos barcos de Donald. Os apoios de braços merecem também destaque: são produzidos em metal e num processo bastante demorado, são gravados com o típico motivo “Blue Bird” que identificou os veículos de Donald Campbell. Também a utilização de dois tons no volante é uma estreia, fabricado em cabedal preto e azul.

VEJAM TAMBÉM: O super-iate que tem o Circuito do Mónaco e uma pista de kartin no interior

Já os manómetros são também alusivos aos que eram utilizados nos barcos recordistas, com ponteiros característicos, sendo que o mais curioso é o manómetro da Power Reserve, cujo ponteiro se move para trás conforme se pressiona mais o acelerador e, se o pedal for pressionado a fundo, entra numa zona amarela e azul, que no barco K3 de Donald deu origem à expressão “going into the blue” sendo esta a zona de potência máxima dos motores. Para que os três recordes em água de Campbell fiquem definitivamente na história, a Rolls Royce colocou na tampa do porta-luvas as inscrições com os recordes em água do velocista britânico.

RR waterspeed (3)

 

Pub