Dodge Challenger SRT Hellcat: ainda mais força

A Dodge apresentou o Challenger SRT Hellcat, o mais poderoso dos Challenger. E excesso é a palavra de ordem, ou não fosse um digno representante dos fascinantes muscle-car, ao melhor estilo americano.

Cortar emissões, consumos, downsizing, hiper-desportivos com packs de baterias e modos elétricos, Eco, Green, Blue… Esqueçam isso! Entra em cena o Dodge Challenger SRT Hellcat, sugador de octanas, destruidor de borracha, poderoso, bruto, onde mais é definitivamente melhor, ao bom estilo americano.

Mas comecemos com o membro mais modesto dos Challenger SRT. De regresso ao controlo da Dodge e perdendo o estatuto de marca, a SRT passa a identificar duas versões distintas do Challenger.

2015 Dodge Challenger SRT Supercharged (left) and Dodge Challeng

Após termos conhecido um Challenger actualizado no salão de Nova York deste ano, com um muito necessário novo interior, estética retocada e fortemente inspirada pelo Challenger de 71, chega agora o Challenger SRT. Apresenta-se com o já conhecido, mas actualizado motor de 6.4L e 8 cilindros em V. A potência sobe 15cv e o binário 7Nm, fixando-se num total de 491cv e 644Nm respectivamente. Números “simpáticos”, não? Mas longe de ser suficiente. Isto quando a concorrência atinge perto de 590cv na forma do Chevrolet Camaro ZL1 e uns titânicos 670cv, cortesia do Ford Mustang GT500.

VEJAM TAMBÉM: FIA Shelby Cobra 289, uma lenda que renasce 50 anos depois

O que fazer?
Seguir a mesma receita, óbvio! E tal como a concorrência, nada melhor que acoplar um compressor, ou, em bom inglês, um Supercharger ao enorme V8. Claro que não é apenas encaixar um compressor e já está. O 6.4 Hemi foi revisto em toda a sua extensão para lidar com o aumento expressivo das forças geradas, originando um novo V8, com 6200cc e batizado com o sugestivo nome de Hellcat. Números? Bem, não os temos. Isto porque a própria Dodge, apesar de ter apresentado o Challenger SRT Hellcat a nível oficial, ainda não disponibilizou os números finais.

2015 Dodge Challenger SRT Supercharged

Os rumores apontam para algo a norte dos 600cv, e muitos especulam que ultrapassará inclusivamente os quase 650cv do Viper, e do seu massivo V10 de 8.4 litros atmosférico. De qualquer forma, o Hellcat já é o mais potente V8 alguma vez produzido pelo ex-grupo Chrysler, agora FCA.

Para lidar com todo este poderio, existirão duas opções no capítulo das transmissões. Uma transmissão manual de 6 velocidades e uma automática de 8 velocidades. Esta última será uma estreia nos Challenger SRT. Caberá a generosos pneus Pirelli PZero Nero passar toda esta força para o asfalto. O mais certo é serem consumidos como se fossem fast-food, em burnouts e mega-drifts. E refrear os ânimos, o sistema de travagem foi providenciado pela Brembo, com discos de 390mm à frente – os maiores discos de sempre, presentes num modelo preparado pela SRT.

A NÃO PERDER: Ford Mustang GT, 50 anos em edição especial

Visualmente distinguir-se-á dos outros Challenger graças ao novo capot – semelhante ao do Viper na forma como estão distribuídas a entrada e extractores de ar – à frente com tratamento específico, indo ao pormenor de integrar numa das ópticas do lado do condutor uma entrada de ar denominada Air Catcher, que direcciona ar directamente para o compressor com efeito ram-air. Frente e traseira são adornados com splitter e spoiler exclusivos, de maiores dimensões, reduzindo lift e potenciando o downforce .

2015 Dodge Challenger SRT Supercharged

Assumidamente retro, mas a evocação a tempos idos fica-se pelo estilo. Com o restyling, o Challenger é decididamente um muscle-car do séc. XXI, ao apresentar múltiplas configurações possíveis, com o seu possuidor a poder alterar pârametros na direcção, suspensão, sistema de tracção e até a potência disponível ao pressionar do acelerador. Não é inédito, mas não deixa de ser incomum, o Hellcat virá com duas chaves.

A chave vermelha libertará toda a fúria do Hellcat, com o motor a dar tudo o que tem para dar. A segunda chave, de cor preta, limitará potência e binário que o V8 fornecerá. Existirá ainda um modo Vallet, ou seja, para quando entregamos o carro a um arrumador, que castrará ainda mais o coração do Challenger SRT Hellcat.

2015 Dodge Challenger SRT Hellcat Sepia Laguna leather

Começará a ser produzido no último quadrimestre do ano, mas dificilmente o veremos deste lado do Atlântico. A renovação do Ford Mustang tornou-o num produto global pela primeira vez na sua história. Talvez a próxima geração do Challenger possa seguir o mesmo rumo. Prevista para 2018, segundo o plano da FCA, e muito provavelmente com uma variante da plataforma Giorgio, que alimentará a futura gama da Alfa Romeo, a Europa possa ter mais um possante representante dos fascinantes muscle-cars.



Pub