Volkswagen Golf GTE: confirmado irmão híbrido do GTI e GTD

O Volkswagen Golf GTE deverá tornar-se no primeiro hot hatch híbrido do mercado, com a Volkswagen a diversificar o nicho, complementando o histórico Golf GTi e o Golf GTD.

Desmontando a sigla, GTE significará GT Electric. Mas um hot hatch híbrido? Já os existem a diesel, logo, porque não um hot hatch com electrões à mistura? Sem dúvida que vivemos tempos interessantes. Este posicionamento mais desportivo acaba por contornar a percepção típica dos híbridos pelo mercado, como os electrodomésticos do mundo automóvel. Injectar algum do ADN “apimentado” do Golf GTi no futuro Golf GTE, mal não deverá fazer.

Volkswagen-Golf_GTI_2014_01

Ainda não conhecemos as vestes finais (a imagem apresenta apenas um protótipo de testes), mas já existem dados relativos às performances, extrapoladas do protótipo Plug-in Hybrid já apresentado. No sprint dos 0 aos 100 km/h, o futuro Volkswagen Golf GTE deverá conseguir cumpri-lo em 7.6 segundos, marca equivalente ao Golf GTD e a velocidade máxima é de 217 km/h. O grupo motriz é idêntico ao do Audi A3 e-tron, também já apresentado. Isto significa que encontramos o conhecido 1.4 TSI a gasolina com 150 cv, conjugado com um motor elétrico de 102 cv, com as duas motorizações a oferecerem uma potência combinada total de 204cv e 350Nm de binário máximo. O motor elétrico é alimentado por um conjunto de baterias de lítio de 8.8 kWh, permitindo ao Golf GTE uma autonomia máxima em modo elétrico de até 50km, e neste modo, uma velocidade máxima de 130km/h.

Com a possibilidade de deslocação puramente elétrica, os consumos e emissões oficiais, são impressionantes: apenas 1.5 l/100km e umas miseráveis 35g CO2/km. Será interessante descobrir até que ponto estes números encontrarão eco numa utilização real.

2014_vw_golf_7_plug-in-hybrid-2

Resta agora esperar pelo avançar do ano, e mais para o seu final, conheceremos ao vivo e a cores o hot hatch híbrido da Volkswagen, o Golf GTE.

Pub