Comprar carro

Comprar carro usado para totós

Queremos propor-te algo inovador e que poderá vir a ser-te muito útil.

O teu quotidiano pede em plenos pulmões por um automóvel? Ok, é legítimo. Mas por outro lado, devido à crise o teu orçamento é mais reduzido que a chuva no Verão ou o calor no Inverno. Pois bem, a compra de uma viatura usada pode ser a solução. E há viaturas de todas as cores, idades, géneros e preços.

O problema agora reside na escolha. Será que o carro em que estás interessado é de confiança? Ou é um velho lobo do asfalto com mais quilómetros que o Space Shuttle?

Por isso a compra de carro usado exige cuidados redobrados para evitar a aquisição de um veículo em estado enganoso. Temos de tomar as devidas precauções antes de fechar qualquer negócio. Como? Não deixando de fazer coisas simples como confirmar a autenticidade dos documentos da viatura, a mecânica e toda a carroçaria. Mas continuem a ler este texto porque as dicas ainda mal começaram…

Decide o que queres

Pensa no que queres, quanto é que queres gastar e (muito importante!) quanto é que podes gastar realmente porque entre o querer e o poder, infelizmente vai uma grande distância.
Só depois desta primeira decisão poderás partir em busca do melhor negócio. E não te esqueças: mantêm-te fiel àquilo que delineaste. Caso contrário, acabarás por optar por algo que não precisas ou que não podes pagar. O monovolume para a toda a família num instante se pode transformar num coupé de dois lugares, gastador e desconfortável.

Pede ajuda

Pede ajuda a um amigo que entenda de automóveis. Em caso de dúvida, leva contigo um mecânico da tua confiança para fazer uma avaliação ao estado geral do carro. Precisas de ver tudo com a máxima atenção, especialmente os itens de segurança, tais como travões, amortecedores e pneus.

Preços

O preço dos carros usados varia muito. Só há uma solução: Pesquisar. Jornais, revistas e sites divulgam frequentemente as tabelas de preços de mercado, essa é a tua melhor referência. Para avaliar se o preço do carro é compatível com o de mercado, deverás levar em linha de conta variáveis como a quilometragem, o estado geral do veículo e o equipamento proposto. E não te esqueças: regateia sempre o preço! Perde a vergonha e negoceia até achares que atingiste um bom equilíbrio entre o valor do carro e aquilo que estás disposto a pagar. E não te esqueças de imputar os custos de eventuais reparos ao valor de venda.

Análise
Com o veículo parado:
  1. Examina o carro à luz do dia e nunca em locais fechados ou garagens. Exije ver o veículo seco, porque a água pode atribuir ao carro um brilho enganador;
  2. Testa os amortecedores empurrando o carro para baixo. Se ao largares o veículo abanar duas ou mais vezes, o amortecedor está em más condições;
  3. Observa se a pintura é uniforme, caso não seja, isso indicia que o carro foi acidentado. Procura também desníveis no alinhamento dos painéis da carroçaria;
  4. Se houver bolhas na pintura, cuidado: é sinal de que há ferrugem;
  5. Confere se as portas ou capô fechados encaixam perfeitamente. O desnível pode indicar que o carro foi batido;
  6. Confere o estado dos pneus. O piso ou um desgaste irregular denuncia um chassi empenado, problemas com a suspensão, ou falta de alinhamento das rodas.
Com o veículo em movimento:
  1. Chassi: em estrada aberta e nivelada confirma se o carro tem tendência para fugir da estrada. Pode indicar problemas de suspensão ou de carroçaria. É muito importante que o automóvel não apresente este sintoma.
  2. Motor: para verificar a saúde do motor, reduz a velocidade bruscamente ou desce uma estrada com inclinação rodando com a segunda mudança engrenada. A velocidade deve reduzir e o carro deve abrandar abruptamente.
  3. Travões: trava normalmente o carro. Se houver ruídos metálicos, as pastilhas estão gastas.
  4. Caixa de Velocidades: engata todas as marchas e verifica se produzem barulho anormal ou de difícil engrenamento.
Com o capô aberto
  1. Chassi: confere se o número do chassi que vem gravado junto ao motor, no vidro da frente e em outros locais condiz com o que consta no registo de propriedade do veículo.
  2. Motor:Pede para te mostrarem o filtro do ar e procura sinais de fuga de óleo junto do motor. Um motor demasiado limpo também pode estar nesse estado para encobrir alguma fuga, tem atenção. E o ruído do motor deve ser constante e linear.
Dentro do Carro
  1. Sistema Elétrico: Examina todos os comandos, como faróis, buzina, limpa pára-brisas, desembaciador, piscas, luzes de travagem, velocímetro, indicador de temperatura etc. para confirmar que tudo funciona.
  2. Interiores: o desgaste do interior deve corresponder à quilometragem do carro. Volante demasiado gasto, bem como bancos e pedais num carro com baixa quilometragem pode ser um indício de que a quilometragem não é verdadeira.
Recomendações Finais

Alguns estabelecimentos comerciais, têm a prática de emitir no recibo de compra e venda a expressão:

“O cliente ao assinar este contrato assume que o veículo se encontra em bom estado de conservação.“

Deves exigir que sejam incluídos no contrato todos os defeitos de mecânica e chapa. Não efetues a compra sem antes verificar se o veículo é furtado ou tem multas pendentes. O IMTT pode informar-te sobre a situação do veículo.

E claro, só aceites documentos originais. Recusa papéis com rasuras ou fotocópias, ainda que autenticadas.

Esperamos que o curso te venha a ser útil e… bons negócios!

Pub