O teu automóvel é uma sauna no verão? Acaba com isso!

Estamos a escassos dias da estação mais quente do ano e aquele bafo abrasador que tanto odiamos já se faz sentir dentro de nossos carros.

Esta é talvez uma das piores consequências do verão, pois torna-se impossível sobreviver dentro de um carro que esteve com a chapa ao sol a tarde inteira…

Para lidares com este problema da melhor maneira, a MaisSuperior e o RazãoAutomóvel trazem-te algumas sugestões para acabares com este inferno de uma vez por todas, mas atenção, não existem métodos infalíveis… Mesmo aquela estupenda ideia de encher o carro com cubos de gelo e torná-lo num enorme glaciar ambulante, pode não ser a melhor opção.

Provavelmente nunca te apercebeste, mas num típico dia de verão a temperatura no interior do teu automóvel pode ser de mais 10 a 20ºC do que a temperatura exterior. Fazendo as contas, se estiverem, por exemplo, 30ºC de temperatura ambiente, poderão estar 50ºC dentro de um automóvel, o suficiente para “fritar” todo o nosso oxigénio em poucos minutos… Contudo, existem algumas formas de prevenir este absurdo e é isso que vamos realçar agora.

CINCO FORMAS DE PREVENIR O CALOR DENTRO DE UM AUTOMÓVEL:

Deixar o carro à sombra
Este é o método de prevenção mais lógico, mas não te iludas, mesmo à sombra o teu carro terá uma temperatura interior superior à do exterior. Ainda assim, aconselhamos vivamente a tentares encontrar sempre um lugar à sombra, afinal de contas, 40ºC sempre é melhor do que 50ºC e um carro estacionado ao sol favorece a evaporação da gasolina, algo que ninguém quer…

Deixar as janelas ligeiramente abertas
Apesar de não adiantar muito, deixar as janelas entreabertas ajuda a uma melhor circulação do ar dentro do automóvel, o que originará a um pequeno (mas importante) ganho de refrigeração.

Usar protetor dobrável no para-brisas
Para os menos crentes, usar um protetor no para-brisas é ridiculamente feio e não ajuda em nada no arrefecimento do habitáculo. Mas enganam-se… Estes protetores têm uma tarefa simples e muito importante: Não deixar o volante e todos os outros componentes a escaldar como um forno quando está a assar um apetitoso frango.

Proteger volante, assentos e manete das mudanças
Este ponto complementa um pouco o ponto anterior, mas é talvez mais eficaz visto individualmente. Experimenta deixar um pano húmido a proteger o volante e a manete das mudanças e deixar uma toalha sobre os assentos, quanto mais não seja vai ajuda-te a conservar o material do veículo e a evitar aqueles choques térmicos sempre que tocas no volante.

Usar películas nos vidros
As películas escurecem os vidros e consequentemente diminuem o calor no interior do automóvel, evitando assim o desgaste dos estofos e dos plásticos. Em Portugal existem algumas dificuldades na homologação destas películas, mas já existem várias marcas a tratar de todas estas burocracias sem grandes problemas.

Estes cinco mandamentos vão dar-te algum trabalho, mas se por ventura és daqueles que não está para grandes cerimónias e não gostas de ver o teu carro a competir com uma árvore de natal em concursos de beleza, fica a saber que também para ti há forma de contornar o problema do calor. A solução é simples: Ar condicionado! Mas como em tudo na vida, tem os seus prós e contras…

AR CONDICIONADO VS. JANELAS ABERTAS

O ar condicionado é um aliado de peso para combater aquelas temperaturas mais estonteantes, mas sabias que se este estiver a funcionar a 50% da sua capacidade pode aumentar em 10% o consumo do combustível? O A/C para trabalhar vai buscar forças ao motor do carro e consequentemente origina um maior esforço do mesmo, daí o aumento do consumo de combustível ser inevitável. Em tempos de contenção tudo serve para poupar, por isso, o melhor é abrir as janelas do carro. Mas também aqui há um problema… A aerodinâmica é essencial para a estabilidade do veículo, e ao abrires as janelas existe uma perda gradual da aerodinâmica.

Confuso? Imagina que vais na autoestrada a 120 km/h com as janelas abertas, além de ser uma turbulência nada confortável para os teus ouvidos, vai haver uma maior resistência do carro ao ar, o que significa que o atrito existente vai pedir ao motor que se esforce mais para andar o mesmo. Segundo alguns estudos, é mais eficiente ligar o A/C em velocidades elevadas (mais de 90 km/h), pois o consumo de combustível derivado das perdas aerodinâmicas é superior ao consumo do ar condicionado. Por isso já sabes, sempre que circulares a mais de 90 km/h é preferível ligares o A/C, caso contrário, o melhor é abrires as janelas do carro e sentires aquela brisa escaldante na cara.


Texto: Tiago Luís

Pub